Ataque às Torres Gêmeas completam 19 anos; Trump e Biden lembram data

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e seu rival democrata na eleição presidencial de novembro, Joe Biden, vão lembrar o 19º aniversário dos ataques do 11 de setembro. Os candidatos vão visitar, separadamente, o campo da Pensilvânia — onde um dos aviões sequestrados caiu. Biden e sua esposa, Jill, compareceram primeiro a uma cerimônia matutina na parte sul de Manhattan, em Nova York, onde sequestradores da Al Qaeda lançaram dois aviões contra as torres gêmeas do World Trade Center. O vice-presidente republicano Mike Pence também estará presente na ocasião.

Trump discursará em uma cerimônia matutina no Memorial Nacional do Voo 93 em Shanksville, na Pensilvânia. A informação é de uma autoridade da Casa Branca. O evento, que lembrará os 40 passageiros e tripulantes que morreram quando a aeronave caiu em um campo depois dos passageiros lutarem com os sequestradores, será fechado ao público por causa do temor do coronavírus. Mais tarde, os Biden visitarão o campo de Shanksville para prestar suas homenagens às vítimas. Os dois candidatos não devem se encontrar na Pensilvânia, um Estado vital na disputa eleitoral do dia 3 de novembro.

As cerimônias que lembram os ataques são uma parada frequente de candidatos presidenciais e autoridades. Trump visitou Shanksville no aniversário dos ataques em 2018 e compareceu a cerimônias de homenagem no Pentágono. Biden esteve nos memoriais de Shanksville durante seus anos como vice-presidente de Barack Obama. Durante a campanha presidencial de 2016, Trump e a então candidata presidencial democrata, Hillary Clinton, visitaram o memorial do Marco Zero de Nova York no aniversário do 11 de setembro. O Dia 11/9, uma iniciativa sem fins lucrativos, havia pedido que as duas campanhas retirem os anúncios. A campanha de Biden anunciou que retirará seus anúncios de televisão do ar nesta sexta-feira para rememorar a data dos ataques. A campanha de Trump não respondeu quando indagada se o faria.

Relembre

O Voo 93 — que ia de Newark, em Nova Jersey, para San Francisco — nunca chegou ao seu destino porque passageiros invadiram a cabine de comando e tentaram retomar o controle do avião. Acredita-se que os quatro sequestradores planejavam lançá-lo ou contra o Capitólio ou contra a Casa Branca. Ao todo, quase 3 mil pessoas morreram nos ataques de 11 de setembro de 2001, que ainda incluíram um quarto avião sequestrado que se chocou contra o Pentágono, nos arredores de Washington.

Fonte: https://jovempan.com.br/noticias/mundo

Foto: EFE

Paulo de Pádua

Paulo de Pádua Vasconcelos é jornalista formado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem especialização em Assessoria de Imprensa, no Curso de Comunicação Social, concluído pela FESP. Trabalhou, como repórter, em vários portais do Estado, a exemplo do WSCOM e ParlamentoPB, no BLOG de Luís Torres, por um determinado período, e também foi repórter dos cadernos de cidade, policial e política dos Jornais A UNIÃO e do extinto O NORTE. Além disso, foi coordenador de Comunicação Social e depois coordenador do Portal da Câmara Municipal de João Pessoa. Atualmente exerce a função de assessor de imprensa da Presidência da Câmara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *