Liderados por Conor McGregor, 50 atletas mais bem pagos somam lucros de R$ 14 bi

ano de 2020 foi de recordes para o esporte, embora não nos campos, pistas e ringues, mas no cálculo dos lucros e salários dos atletas. Além da remuneração normal, esses números vêm também de acordos de patrocínio dos esportistas e outros investimentos. Dos 2,8 bilhões de dólares, cerca de R$ 14 bilhões, arrecadados pelos 50 mais bem pagos, cerca de 1 bilhão de dólares (aproximadamente R$ 5 bilhões) veio de fora da atividade esportiva. Esse número é o mais alto da história.

 O líder do ranking, o lutador de UFC Conor McGregor, lucrou 180 milhões de dólares (aproxiadamente R$ 980 milhões) com a soma das atividades esportas e a venda de ações de uma destilaria de uísque.

Segundo levantamento da revista Forbes, os rendimentos mínimos para um atleta configurar entre os 50 mais bem pagos do planeta passou de 28,5 milhões dólares (R$ 144 milhões) para 34 milhões (mais de R$ 170 milhões) no último ano. Esse aumento, porém, está longe de refletir a realidade de atletas que não são estrelados: a paralisação de campeonatos por conta da pandemia prejudicou a renda de boa parte dos profissionais.

Entre as atletas mulheres, a estrela do tênis Naomi Osaka, que desistiu do campeonato de Roland Garros por razões de saúde mental, ocupou o primeiro posto com lucros em 60 milhões de dólares (R$ 320 milhões). No ano passado, ela ocupou o primeiro lugar do ranking de mulheres com 37,4 milhões de dólares (R$ 188 milhões) de lucro.
Apesar de ser a primeira entre as mulheres, é a 12ª colocada no ranking geral (era a 29ª), o que escancara uma desigualdade de gênero persistente mesmo entre os mais bem pagos. A única outra mulher da lista dos 50 é a também tenista Serena Williams, na 29ª posição, com total de ganhos em 41,5 milhões de dólares (R$ 209 milhões).

Tanto para Osaka quanto para Williams, os ganhos fora das quadras foram significativamente maiores do que o salário em si: apenas 5 milhões de dólares (R$ 25,4 milhões) dos 55 milhões de dólares (R$ 277 milhões) da japonesa vieram diretamente do esporte. No caso da americana, foram 1,5 milhão de dólares (R$ 7,57 milhões) , menos de 10% do total de 41,5 milhões de dólares (R$ 209 milhões) .

O único brasileiro no ranking é Neymar (6º), com um total de 95 milhões de dólares (R$ 479 milhões) em ganhos, sendo 76 milhões de dólares em campo. Em reais, a quantia total chega perto dos 480 milhões.

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/esporte

Foto: Getty Images

Paulo de Pádua

Paulo de Pádua Vasconcelos é jornalista formado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem especialização em Assessoria de Imprensa, no Curso de Comunicação Social, concluído pela FESP. Trabalhou, como repórter, em vários portais do Estado, a exemplo do WSCOM e ParlamentoPB, no BLOG de Luís Torres, por um determinado período, e também foi repórter dos cadernos de cidade, policial e política dos Jornais A UNIÃO e do extinto O NORTE. Além disso, foi coordenador de Comunicação Social e depois coordenador do Portal da Câmara Municipal de João Pessoa. Atualmente exerce a função de assessor de imprensa da Presidência da Câmara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *