PB é o primeiro estado do país em número de pessoas cadastradas no aplicativo Monitora Covid-19

Com 6.895 pessoas cadastradas e 1.350 atendimentos, em menos de 15 dias de funcionamento, o aplicativo Monitora Covid-19 coloca a Paraíba em primeiro lugar no país no atendimento por meio de um aplicativo que baixa no celular (smartphone e IOS). O segundo estado com o maior número de cadastros é a Bahia, pioneiro  no aplicativo em funcionamento há mais de um mês. O terceiro estado é o Maranhão, com 4.809 cadastros.

Os municípios paraibanos com o maior número de pessoas cadastradas são João Pessoa, com 4.486; Campina Grande, com 771; Bayeux, 384; Santa Rita, 343 e Patos, com 187 cadastros. O aplicativo é mais uma ferramenta da Secretaria de Estado da Saúde (SES) para monitorar pacientes com sintomas do novo coronavírus.

A gerente operacional de Atenção Básica da SES, Rayanna Coelho, explicou que a ferramenta funciona como triagem de classificação de risco e disponibiliza atendimento médico por ligações telefônicas e chat. Ela disse que, primeiramente, o usuário precisa baixar o aplicativo, preencher o cadastro e responder às perguntas. “A partir daí, o algoritmo do Monitora Covid-19 faz a classificação do paciente, conforme as informações dadas”, falou.

Com sintomas leves, a fisioterapeuta, Jessica Natane, de 27 anos, baixou o aplicativo.  “Eu quis evitar sair de casa por ter algo leve e também pensei que pudesse colocar outras pessoas em risco ou, então, estar me colocando em risco. Na ligação com eles, fui muito bem assistida e fiquei bastante satisfeita com a pessoa que me atendeu, que mostrou estar completamente preparada para a situação”, disse.

Jéssica disse que a atendente pegou os dados dela, a orientou sobre o isolamento e, disse que, caso os sintomas aumentassem, entrasse em contato. Ela ainda conversou com um médico. “Eu não saí pra fazer consulta, mas, por meio de mensagens, falei com um médico que se mostrou bem amigo e preocupado com a minha saúde”, declarou.

Na próxima semana, serão mais três médicos para formar a equipe de retaguarda. No momento, são 25 profissionais.

“Precisamos que mais pessoas baixem o aplicativo para que possamos realizar os primeiros atendimentos, o que contribui para o combate do vírus, pois, provavelmente, as pessoas atendidas por meio do aplicativo iriam à procura de uma unidade de Saúde, em busca de dúvidas simples. Através do aplicativo, tiveram atendimento e os casos foram resolvidos”, disse Rayanna.

Para ter acesso a esses atendimentos, é necessário baixar o aplicativo no celular, fazer o cadastro e responder a algumas perguntas que são uma espécie de triagem para que o aplicativo possa fazer a classificação de risco do paciente e o seu devido encaminhamento.

Secom-PB

Paulo de Pádua

Paulo de Pádua Vasconcelos é jornalista formado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem especialização em Assessoria de Imprensa, no Curso de Comunicação Social, concluído pela FESP. Trabalhou, como repórter, em vários portais do Estado, a exemplo do WSCOM e ParlamentoPB, no BLOG de Luís Torres, por um determinado período, e também foi repórter dos cadernos de cidade, policial e política dos Jornais A UNIÃO e do extinto O NORTE. Além disso, foi coordenador de Comunicação Social e depois coordenador do Portal da Câmara Municipal de João Pessoa. Atualmente exerce a função de assessor de imprensa da Presidência da Câmara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *