Petrobras prorroga teletrabalho até o fim do ano

A Petrobras decidiu prorrogar até 31 de dezembro deste ano o teletrabalho (também conhecido pelo termo inglês home office), devido à pandemia do novo coronavírus. Segundo a estatal, a medida foi tomada de forma preventiva, para proteger a saúde de seus funcionários.

Parte da equipe da empresa está trabalhando a distância, ou seja, em casa ou em outro lugar fora do ambiente regular de trabalho devido à pandemia.

“A Estrutura Organizacional de Resposta (EOR), formada por representantes de diversas áreas da companhia com o objetivo de coordenar ações de prevenção ao coronavírus para proteção aos colaboradores, continuará monitorando os cenários interno e externo, com avaliação constante das decisões tomadas, tendo sempre como foco a segurança de todos. Em função de uma possível mudança de cenário da pandemia e dos locais em que a Petrobras atua, as datas de retorno poderão ser alteradas”, diz a empresa em nota.

A Petrobras também dará uma ajuda de custo de R$ 1 mil para a compra de equipamentos ergonômicos. A empresa destaca, no entanto, que algumas atividades podem voltar ao trabalho presencial antes do fim do ano, caso haja necessidade.

“Nesses casos, a transição será segura e gradual, em ondas, seguindo uma rigorosa análise, que levará em consideração as atividades, a saúde e segurança dos empregados, a localidade e a regulação estabelecida por estados e municípios, assim como as orientações das autoridades sanitárias”.

Nas áreas operacionais onde não é possível fazer teletrabalho, a Petrobras informou que manterá medidas preventivas para reduzir o grau de exposição dos funcionários ao vírus.

“Este momento evidencia que a transformação digital está ocorrendo de forma consistente e acelerada. A Petrobras está estudando a implantação permanente do teletrabalho até três dias por semana, observados os critérios de elegibilidade e mediante análise gerencial. O modelo permanente ainda está sendo elaborado e só terá início após a conclusão do presente modelo transitório regido em função da pandemia”.

Fonte: Agência Brasil

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Paulo de Pádua

Paulo de Pádua Vasconcelos é jornalista formado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem especialização em Assessoria de Imprensa, no Curso de Comunicação Social, concluído pela FESP. Trabalhou, como repórter, em vários portais do Estado, a exemplo do WSCOM e ParlamentoPB, no BLOG de Luís Torres, por um determinado período, e também foi repórter dos cadernos de cidade, policial e política dos Jornais A UNIÃO e do extinto O NORTE. Além disso, foi coordenador de Comunicação Social e depois coordenador do Portal da Câmara Municipal de João Pessoa. Atualmente exerce a função de assessor de imprensa da Presidência da Câmara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *