África do Sul sobe para 927 casos antes do recolher obrigatório

número de casos de infecção pelo novo coronavírus na África do Sul aumentou nas últimas horas para 927 casos positivos, enquanto o Governo prepara um recolher obrigatório sem precedentes para conter a pandemia, anunciou hoje o ministro da Saúde, Zweli Mkhize.

 O governante informou que a província de Gauteng, da qual faz parte Johannesburg e motor da economia do país, com um quarto da população de 57 milhões de habitantes, é a mais afetada, com 409 casos positivos.

Segundo Mkhize, a doença continua a propagar-se em Western Cape (229 casos), onde está situada a Cidade do Cabo, e no KwaZulu-Natal (134), litoral do país e que faz fronteira com Moçambique.

Situação idêntica vivida no centro do país, com 49 casos na província do Free State e também na província de Mpumalanga, noroeste, vizinha a Moçambique, que registra nove casos positivos, adiantou o ministro da Saúde.

Na província do Limpopo, norte do país, o número de casos subiu para seis positivos e as autoridades locais decretaram a realização de testes de covid-19 a todos os viajantes provenientes de outras províncias de risco, nomeadamente Gauteng.

North West (5), Eastern Cape (5) e Northern Cape (2), são as restantes províncias sul-africanas afetadas pela pandemia que eclodiu no país em 1 de março.

O Governo, que anunciou o primeiro caso positivo de covid-19 em 5 de março, vai implementar a partir das 00:00 de hoje um recolher obrigatório de 21 dias para evitar a propagação da doença.

O Presidente da República, Cyril Ramaphosa, destacou ainda o exército para ajudar a polícia a manter as pessoas em casa nas próximas três semanas. “Estamos numa situação de guerra e temos que permanecer unidos contra este inimigo comum (global)”, afirmou hoje o chefe de Estado sul-africano.

As autoridades sul-africanas fecharam as fronteiras e o espaço aéreo do país.

Apenas serviços essenciais como hospitais, clínicas, farmácias, bancos e supermercados e alguns transportes públicos em regime especial, vão permanecer operando, segundo o Governo.

 

Fonte: https://www.noticiasaominuto.com.br/mundo

Foto: DR

Paulo de Pádua

Paulo de Pádua Vasconcelos é jornalista formado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem especialização em Assessoria de Imprensa, no Curso de Comunicação Social, concluído pela FESP. Trabalhou, como repórter, em vários portais do Estado, a exemplo do WSCOM e ParlamentoPB, no BLOG de Luís Torres, por um determinado período, e também foi repórter dos cadernos de cidade, policial e política dos Jornais A UNIÃO e do extinto O NORTE. Além disso, foi coordenador de Comunicação Social e depois coordenador do Portal da Câmara Municipal de João Pessoa. Atualmente exerce a função de assessor de imprensa da Presidência da Câmara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *