Vereador comemora Projeto do Executivo sobre realização de exames para diagnóstico da Síndrome de Down

O vereador Marmuthe Cavalcanti (PSD) comemorou, em pronunciamento na manhã desta terça-feira (19), a chegada de mensagem do Executivo Municipal relacionada a Projeto de Lei que dispõe sobre a obrigação de hospitais e maternidades realizarem exame de cariótipo e ecocardiograma em recém-nascidos com sinais cardinais indicativos da Síndrome de Down.

Segundo o parlamentar, a intenção na realização dos exames é diagnosticar a Síndrome de Down e a cardiopatia, comum em quem tem a síndrome. “A realização desses exames são importantes para saber se realmente a síndrome está presente no recém-nascido e, se ele nasceu cardiopata, para que os pais se preparem para a realização da cirurgia, que, se necessária, precisa ser feita até os dois anos de idade”, explicou.

O vereador lembrou que o projeto foi fruto de uma Indicação ao Executivo Municipal elaborada por seu mandato e que a gestão acolheu. Ele relatou ainda que, além de ser parlamentar, é pai de uma menina com Síndrome de Down e sabe da importância que tem a realização desses exames para a saúde do bebê.

Marmuthe citou ainda dois projetos de sua autoria sobre o assunto, um cria o Cadastro Municipal de Crianças com Síndrome de Down e o outro obriga os hospitais e maternidades a informarem à Secretaria Municipal da Saúde o nascimento de pessoas com a síndrome. “Precisamos saber a quantidade de crianças que possuem a síndrome, organizar esse cadastro municipal, para que sejam efetivadas políticas públicas voltadas para esses segmentos”, enfatizou.

Sobre o projeto

O parlamentar ainda explicou que a norma determina a realização dos exames dentro de 48h de nascimento do bebê em todos os estabelecimentos credenciados ao Sistema Único de Saúde (SUS) para determinar o diagnóstico da síndrome, de cardiopatia congênita e de intervenção terapêutica, quando necessário. Ele ressaltou a previsão das penalidades de advertência, pagamento de multa, quando do não cumprimento da norma; multa paga em dobro, no caso de reincidência; e a possibilidade de abertura de processo administrativo.

 Secom-CMJP

Paulo de Pádua

Paulo de Pádua Vasconcelos é jornalista formado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem especialização em Assessoria de Imprensa, no Curso de Comunicação Social, concluído pela FESP. Trabalhou, como repórter, em vários portais do Estado, a exemplo do WSCOM e ParlamentoPB, no BLOG de Luís Torres, por um determinado período, e também foi repórter dos cadernos de cidade, policial e política dos Jornais A UNIÃO e do extinto O NORTE. Além disso, foi coordenador de Comunicação Social e depois coordenador do Portal da Câmara Municipal de João Pessoa. Atualmente exerce a função de assessor de imprensa da Presidência da Câmara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *